terça-feira, 16 de julho de 2019

Cabotagem de contêineres cresce 56% no Pecém

De acordo com Danilo Cerpa, CEO da Cipp S/A o crescimento na movimentação
de cargas conteinerizadas tem sido recorrente desde o inicio do ano.
A cabotagem de contêineres, movimentação entre portos brasileiros, registrou alta de 56% no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp). A alta nos embarques gerais também subiu, neste caso, em 15%. Os dados se referem ao primeiro trimestre de 2019 em comparação a igual período do ano passado.
O CEO da Companhia de Desenvolvimento do Cipp S/A, Danilo Serpa, diz que o crescimento na movimentação de cargas conteinerizadas tem sido recorrente desde o início deste ano. Para ele, isso mostra a consolidação do porto no envio de mercadorias para outros estados e países.
"O incremento de 56% foi resultado de um trabalho intenso que tem sido feito por nossa equipe, que vem buscando novos clientes, novas rotas para o Estado. A linha para o Mediterrâneo, que começa agora na safra de frutas em agosto, é prova do espaço que o Pecém está conquistando como um hub port (porto de distribuição de cargas) do País", afirma.
Segundo a MSC, que promove a rota marítima para o Mediterrâneo a partir do segundo semestre, o foco "será o transporte de frutas frescas, em especial melão, produzido em Mossoró, e manga e uva, produzidas, principalmente, no Vale do São Francisco".
Na nova rota, as frutas frescas irão para a Espanha, diretamente para Valência nove dias após sair do Pecém, para Barcelona (depois de 11 dias), e para Itália, nos portos de Genoa (13 dias), Livorno (15 dias), Gioia e Tauro (16 dias). A expectativa é que o aumento seja de 30% em relação ao total movimentado pela linha na safra de 2018.
Fonte: O Povo