quinta-feira, 15 de agosto de 2019

Presidente eleito da FIEC recebe gestor de centro tecnológico de Portugal

Presidente da FIEC recebe  o diretor geral do Centro Tecnológico das
Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal (Citeve), Antônio Braz
 
O diretor geral do Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal (Citeve), Antônio Braz Costa, foi recebido hoje (14/8) pelo presidente eleito da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), Ricardo Cavalcante. Costa estava acompanhado do presidente do Sindiroupas, Lélio Matias; e do analista do Sebrae, Ivan Moreira. Braz Costa veio à Fortaleza participar do Seminário de Desenvolvimento da Indústria da Moda do Ceará, que aconteceu no dia 13/8. O evento foi realizado através de parceria da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), Sindroupas, Sindconfecções e o Sindcal. Na ocasião, o diretor do Citeve fez uma apresentação do case de sucesso da marca "Made in Portugal", que alcançou notoriedade e reputação internacional.
O Citeve é instituição de referência nacional e europeia para a promoção da Inovação e Desenvolvimento Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário, sendo uma entidade privada, de utilidade pública e sem fins lucrativos. Em atividade desde 1989, tem como missão o apoio ao desenvolvimento das capacidades técnicas e tecnológicas das indústrias têxtil e do vestuário, através do fomento e da difusão da inovação, da promoção da melhoria da qualidade e do suporte instrumental à definição de políticas industriais para o setor. Os laboratórios do Citeve dispõem das mais avançadas tecnologias e de recursos humanos altamente qualificados e estão acreditados pelo IPQ para mais de 446 ensaios, segundo cerca de 900 normas, efetuando anualmente cerca de 150 mil ensaios. 
Fonte: Assessoria de Imprensa SFIEC

terça-feira, 16 de julho de 2019

Cabotagem de contêineres cresce 56% no Pecém

De acordo com Danilo Cerpa, CEO da Cipp S/A o crescimento na movimentação
de cargas conteinerizadas tem sido recorrente desde o inicio do ano.
A cabotagem de contêineres, movimentação entre portos brasileiros, registrou alta de 56% no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp). A alta nos embarques gerais também subiu, neste caso, em 15%. Os dados se referem ao primeiro trimestre de 2019 em comparação a igual período do ano passado.
O CEO da Companhia de Desenvolvimento do Cipp S/A, Danilo Serpa, diz que o crescimento na movimentação de cargas conteinerizadas tem sido recorrente desde o início deste ano. Para ele, isso mostra a consolidação do porto no envio de mercadorias para outros estados e países.
"O incremento de 56% foi resultado de um trabalho intenso que tem sido feito por nossa equipe, que vem buscando novos clientes, novas rotas para o Estado. A linha para o Mediterrâneo, que começa agora na safra de frutas em agosto, é prova do espaço que o Pecém está conquistando como um hub port (porto de distribuição de cargas) do País", afirma.
Segundo a MSC, que promove a rota marítima para o Mediterrâneo a partir do segundo semestre, o foco "será o transporte de frutas frescas, em especial melão, produzido em Mossoró, e manga e uva, produzidas, principalmente, no Vale do São Francisco".
Na nova rota, as frutas frescas irão para a Espanha, diretamente para Valência nove dias após sair do Pecém, para Barcelona (depois de 11 dias), e para Itália, nos portos de Genoa (13 dias), Livorno (15 dias), Gioia e Tauro (16 dias). A expectativa é que o aumento seja de 30% em relação ao total movimentado pela linha na safra de 2018.
Fonte: O Povo

segunda-feira, 29 de abril de 2019

Sindicatos do setor de mineração do Ceará lançam Plano Diretor com presença de diretores da ANM

Sindicatos ligados ao setor de mineração do Ceará lançam, na próxima terça-feira (30), com apoio da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o Plano Diretor de Mineração para a Região Metropolitana de Fortaleza.
O presidente do Sindiminerais, Ricardo Cavalcante, será o
anfitrião do evento que acontecerá na Casa da Industria
O evento acontecerá às 08h30, no auditório Luiz Esteves e contará com a presença dos Diretores da Agência Nacional de Mineração (ANM): Tasso Mendonça Júnior, Tomás Antônio Albuquerque de Paula Pessoa Filho e Débora Toci Puccini. Na ocasião, os convidados participarão de debate com os representantes dos sindicatos envolvidos e empresários sobre as demandas do setor e as novidades do segmento.
Na obra, são apresentadas medidas que buscam fomentar o desenvolvimento da mineração sustentável, integrando a indústria nas ações de planejamento da RMF. O primeiro Plano Diretor de Mineração da Região Metropolitana de Fortaleza foi publicado em 1998, quando a região tinha nove municípios, sendo atualmente composta por 19.
O presidente do Sindminerais, Ricardo Cavalcante, reforça a importância do encontro, alertando que os bens minerais são fundamentais para o desenvolvimento econômico do Brasil. “Não existe condições de haver crescimento sem a mineração estar presente. A mineração oferece matéria prima para os mais variados tipos de indústrias, como construção civil, siderúrgicas, fertilizantes, etc. Muitas vezes o nosso setor é até discriminado, mas isso acontece porque a sociedade não se dá conta da quantidade de coisas que utilizamos no dia a dia que vêm da mineração”, afirma.
Participam do evento e da obra, além do Sindminerais, o Simagram - representado pelo presidente Carlos Rubens Araújo Alencar; o Sindcerâmica - representado pelo presidente Marcelo Guimarães Tavares; o Sindibrita - representado pelo presidente Abdias Veras Neto e o Sindbebidas - representado pelo presidente Cláudio Sidrim Targino.

Sobre o Plano Diretor de Mineração
Os planos diretores de mineração têm como objetivo disciplinar o aproveitamento das substâncias minerais, principalmente de grande alcance social como as matérias-primas usadas na construção civil.

SERVIÇO:

Lançamento do Plano Diretor de Mineração para a RMF

Data: 30 de Abril (terça-feira)

Horário: 8h30

Local: FIEC - Auditório Luiz Esteves (Av. Barão de Studart, 1980 - Aldeota)
Fonte: ENGAJA Comunicação

Governo do Ceará se reúne com empresa de infraestrutura chinesa

Participaram do encontro diretores e o vice-presidente da CCCC, Sun Ziyu,
além do assessor especial de Assuntos Internacionais, César Ribeiro.
Durante seu penúltimo dia de viagem à China, nesta segunda-feira, 29, o governador Camilo Santana (PT) realizou reunião com representantes da China Communications Construction Company (CCCC) para discutir novas parcerias para o setor de infraestrutura.
A instituição é uma das maiores no segmento, com faturamento global de US$ 70 bilhões. O chefe do executivo cearense ressaltou que os novos investimentos podem significar "maior impulso" da economia do Estado, além de mais geração de emprego.
"O Complexo Industrial e Portuário do Pecém tem crescido muito e, com a atração de novas empresas, precisamos dotar o Ceará de uma infraestrutura que seja adequada para receber os empreendimentos", afirmou o governador, em matéria publicada no site do governo do Estado.
Participaram do encontro diretores e o vice-presidente da CCC, Sun Ziyu, além do assessor especial de Assuntos Internacionais, César Ribeiro. Camilo Santana encerra a agenda internacional nesta terça-feira, 30, em reunião com diretores da Empresa Huawei, uma fornecedora de equipamentos para redes e telecomunicações.

Superintendente de Fiscalização da Agencia Nacional de Água afirma que “Barragens do Nordeste demandam atenção maior”.

O superintendente de Fiscalização da ANA, Alan Lopes,
relata empecilhos na efetivação da Lei.
Em entrevista ao Sistema Verdes Mares, o superintendente de fiscalização da Agência Nacional das Águas (ANA), Alan Lopes, destaca a necessidade de, devido às características do semiárido, dar maior atenção às barragens do Nordeste na quadra chuvosa e enfatiza que gargalos severos comprometem a garantia de segurança desse tipo de estrutura no Nordeste, sobretudo, nos estados do Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba.

A Política Nacional de Segurança de Barragens estabelece os critérios para fiscalização. Hoje, quais os maiores gargalos para o cumprimento das determinações? No Nordeste há alguma especificidade?
Essas dificuldades estão relacionadas primeiro a uma questão de governança e a coordenação entre os fiscalizadores da Política Nacional de Segurança de Barragens. Porque nós temos mais de 30 fiscalizadores e a política não definiu um órgão central que coordenasse a atuação desses órgãos. Acaba  que cada órgão tem que editar suas próprias normas de forma bastante autônoma.

Quais outras questões comprometem esse andamento?
Uma outra questão é a sustentabilidade financeira dos órgãos fiscalizadores e empreendedores, principalmente os públicos e particulares com baixa condições econômicas para cumprirem os requisitos da Lei. A Lei (12.334/2010) é muito rigorosa em termos de exigência e elas são comuns para vários tipos de barragens.
Então, dependendo da classificação dela - em relação aos danos que ela provoca, rompimento, estado de conservação - ela tem frequências diferentes de inspeção. Mas não há muita diferenciação em relação ao custo para o atendimento da Lei.
Os empreendedores que são pequenos não têm as condições para fazer o Plano de Segurança e ação de emergência porque isso exige o levantamento topográfico de áreas imensas.
Leia a entrevista completa em: Jornal Diário do Nordeste

No Ceará, 45% da frota têm mais de 10 anos de utilização

Curiosidade; a maior parcela dos novos está concentrada no interior.
São 404.070 contra 292.029 na capital.
O Brasil mantém um ritmo intenso, nos últimos dois anos, de retomada no emplacamento de veículos. E a mesma realidade é replicada no Estado. Mas, a alta não foi suficiente para impedir o contínuo envelhecimento da frota.
No recorte local, por exemplo, mesmo com 11,8 mil autos e comerciais leves comercializados de janeiro a março deste ano, o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) revelou uma baixa de 11,96% do número de veículos com até cinco anos, comparando ao acumulado até março de 2018, significando só 22% dos 3,2 milhões dos veículos registrados no Estado até março de 2019. Por curiosidade, a maior parcela dos novos está concentrada no interior. São 404.070 contra 292.029 na capital.
A queda é refletida na revenda do seminovo. Com a oferta reduzida em modelos com até três anos, a venda nessa categoria despencou 13,6% no acumulado desse primeiro trimestre. Em compensação, a procura das opções mais antigas aumentou, como os maduros de 9 a 12 anos, que tiveram um crescimento de 28,2%. Os jovens (4 a 8) e velhinhos (acima dos 13 anos) também subiram, tendo 10% mais vendas até março de 2019, comparado a igual período do ano passado.
De acordo com Everton Fernandes, presidente do Sindicato das Revendedoras de Veículos do Ceará, os clientes migraram também com força para os zeros. Porém, visualmente não será possível ver essa transição neste ano. "Isso vai fazer com que nosso mercado a curto prazo, em um a dois anos, melhore a situação nessa questão de uso até três anos. Porque em 2018 houve crescimento dos novos e 2019 está se caracterizando por um aumento maior ainda", destaca.
A previsão, segundo a Fenabrave (Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores), é que o mercado se desenvolva de 10 a 15% neste ano. É o que aponta Fernando Pontes, presidente da entidade seção Ceará.
"A crise fez com que as pessoas adiassem o seu desejo da compra, mas os bancos estão começando a financiar mais, há uma oferta de crédito muito grande, com taxas baixas e mais facilidades. Além disso, a inadimplência caiu. Isso tudo fez com que o mercado começasse a reagir. Não é à toa que o aumento de venda desse primeiro trimestre já é uma sinalização que iremos ter um volume bom este ano", aponta.
Enquanto isso, a maior parcela dos veículos do Ceará continua com idade de 5 a 10 anos de uso, são 33%. Atualmente, isso significa mais de 1 milhão, sendo uma alta de 5,22% comparada à realidade de março de 2018. A segunda representatividade da frota está naqueles acima dos 15 anos, com pouco mais de 900 mil e 28% da fatia total dos emplacados. Essa quantidade representa aumento de 6,95% diante dos números de março de 2018. "A frota envelheceu em função da crise que abateu o setor. Significa que, de seis a oito anos atrás, se vendia aqui no Estado em torno de 60 mil carros. Com a crise, caiu para 20 a 30 mil carros por as pessoas segurarem a compra do novo, preferindo ficar com o usado até melhorar as coisas", completa Pontes.

Retrato nacional
Embora o mercado tenha crescido 1,33% no acumulado de 2017 e 13,58% no ano seguinte, com mais de 3,65 milhões de novos veículos nas vias nacionais em 2018, o Brasil também tem frota envelhecida.
A idade média dos automóveis em circulação subiu para 9,7 anos e a tendência é chegar aos 10 anos em 2020, conforme o Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores.
Para o setor automotivo, ter uma frota mais nova é melhor para a economia brasileira. Até mesmo para quem vende usados. "Por questão de garantia que é preciso dar pela revendedora, é melhor vender carro com dois ou três anos de uso do que cinco a sete, porque a tendência desses carros antigos é precisar de mais manutenção", pontua Everton.
No entanto, já no outro lado da balança, o Estado não está preparado, segundo Everton, para o cenário almejado de ter carros mais novos. "A gente passaria a ter um outro problema. Para que essa frota se renove, a nossa malha viária talvez não atenda o crescimento. A tendência é que entre mais carros do que saiam de circulação", acrescenta.
Com Diário do Nordeste

segunda-feira, 8 de abril de 2019

Aracati exportou US$ 2,46 milhões em sucos de frutas no primeiro bimestre do ano

O município de Aracati exportou no primeiro bimestre de 2019 um total de US$ 3,85 milhões e passou a ocupar no ranking cearense das principais cidades exportadoras o posto de 11º lugar. De acordo o estudo realizado pelo Centro Internacional de Negócios da FIEC, o valor é 29,1% maior que a do mesmo período de 2018. As importações somaram US$ 94,8 mil, o que representa um salto de 295,1% em relação ao ano anterior. A balança do município ficou superavitária com um total de US$ 3,76 milhões – um crescimento de 27% ante o mesmo período do ano passado.
As exportações do suco de frutas somaram US$ 2,46 milhões
em janeiro e fevereiro de 2019.
Sucos de fruta são os principais itens vendidos ao exterior pelo município. As exportações do produto somaram US$ 2,46 milhões em janeiro e fevereiro de 2019. O montante representa 64% do total exportado por Aracati, tendo crescido 17,5% em relação ao ano anterior. Holanda foi o maior consumidor das vendas da cidade, totalizando US$ 1,53 milhões. O consumo holandês dos produtos de Aracati elevou-se em 129,2%, se comparado ao do primeiro bimestre de 2018 e, juntamente com os Estados Unidos, representam uma participação de 67% do total exportado.
As partes de geradores elétricos são os principais itens importados pelas empresas do município, com 76% do total (US$ 72,6 mil).  O 2° item mais importado foram interruptores de corrente, como relés. O dispositivo eletrônico somou, no intervalo observado US$ 15,8 mil. As aquisições da cidade são originárias, em sua totalidade, da China.

Fonte: GECON/FIEC 

terça-feira, 2 de abril de 2019

Vila Gale oferece hospedagem virtual no WTM-2019

A WTM Latin America está acontecendo no Expo Center Norte,
em São Paulo, e irá se estender até quinta-feira (4).
Começou hoje, 2, a 7ª edição do World Travel Market (WTM) Latin America. Realizado em São Paulo, Brasil, esse evento business-to-business (B2B) atrai um público mundial para se reunir e determinar o rumo do setor de viagens e turismo. Ao longo de três dias, 8.000 visitantes influentes e 600 empresas expositoras fazem networking, negociam e se atualizam com  as últimas notícias do setor.A Vila Galé, maior rede de resorts do país, apresenta novidades durante a WTM Latin America. Pela primeira vez, o grupo traz o projeto Viva Vila Galé, no qual os visitantes são convidados a participarem de uma experiência de hospedagem em realidade virtual 360º nas unidades de Touros e Rio de Janeiro.“A ideia desta ação é trazer uma experiência de live marketing, na qual o objetivo é permitir que os visitantes interajam com os nossos produtos”, explica a diretora de vendas Adriana Borges.
Em sua abertura, o evento contou com diversas autoridades como o Ministro do Turismo Marcelo Álvaro Antonio.

quarta-feira, 27 de março de 2019

Ex-beneficiário do Bolsa Família, cearense será embaixador do Nordeste em conferência em Harvard

Francisco Cavalcante de Sousa representará o Nordeste no programa de
embaixadores da Brazil at Havard & MIT, no Estados Unidos
O estudante universitário Francisco Cavalcante de Sousa, de 20 anos, será o primeiro cearense a representar o Nordeste no programa de embaixadores da Brazil at Havard & MIT, em Boston, nos Estados Unidos. O estudante é o filho caçula de seis irmãos, e o primeiro a conseguir ingressar em uma universidade.
Natural do município de Jaguaribara, distante 218 km de Fortaleza, o universitário se divide entre a cidade de Mossoró (RN) onde estuda durante a semana e sua cidade de origem, onde atua nos fins de semana como voluntário em programas sociais e administra uma página de notícias sobre fatos em Jaguaribara.
Estudante do segundo semestre do curso de Direito da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), Francisco contou ao O POVO Online sobre as suas expectativas. "Com dedicação e muita força nós podemos conquistar o queremos. E eu quero ser um símbolo de que o protagonismo juvenil pode transgredir fronteiras e transformar o ambiente onde vivemos, mesmo morando no interior nordestino, onde a aplicação de políticas públicas muitas vezes são secundárias", explica.
Francisco também falou sobre a motivação para os estados na realidade em que vivia com a família, no Interior do Estado. “Na minha família, ninguém nem sequer terminou o Ensino Fundamental. Inclusive, minha mãe é funcionária de uma escola, trabalha na limpeza. E eu, lá em casa, fui o único que decidi que queria mudar, não queria ser como os meus irmãos (que estão desempregados). Eu disse: eu posso mudar o meu País”, contou.
Os embaixadores 
O programa conta com dez jovens brasileiros, selecionados a partir de projetos que desenvolvem em cada estado. Durante a conferência, os estudantes discutirão o presente e o futuro do País e do mundo. Francisco foi selecionado após apresentar seus projetos sociais que foram desenvolvidos durante sua vida escolar. Um deles tratava sobre o programa Bolsa Família como política educacional. Ele lançou olhar sobre a questão política, educacional e social ao programa do qual foi beneficiário. 
Francisco estudou durante o Ensino Médio no curso de Eletromecânica no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) e participou do concurso que lhe rendeu o prêmio de primeiro lugar no maior evento científico do Ceará e o 4° no Programa Parlamento Jovem Brasileiro, da Câmara dos Deputados.
Brazil Conference at Harvard & MIT
Os dez estudantes selecionados irão à Boston para participar da Brazil Conference at Harvard & MIT, e se tornarem multiplicadores em suas regiões. O embarque será no próximo dia 2 de abril com retorno no dia dez.
Após participarem do programa, os estudantes serão responsáveis em organizar seus próprios centros regionais, com a criação de eventos para propagar o conteúdo que será discutido durante a conferência.
Confira a lista dos embaixadores de 2019
Norte
Carlla Martins - Estudante de Engenharia da Computação na Universidade Federal do Amazonas (UFAM).
Jackson Viana - É estudante e fundou a Academia Juvenil Acreana de Letras (AJAL), instituição de cultura voltada a jovens escritores do Acre, da qual é o presidente.
Nordeste
Aniele Berenguer - Estudante de psicologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA)
Francisco Cavalcante - Estudante de direito da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN).
CENTRO-OESTE
Eros Frederico - Ex-aluno do IFMS-CB e atualmente é acadêmico de Direito da UFMS em Corumbá/MS.
Marina Martinho já atuou em diversos projetos sociais e voluntariados, dentre eles como embaixadora e mentora do Movimento Choice.
SUDESTE
Daniel Heringer é ex-aluno do Coluni - UFV e atualmente é estudante de medicina da USP de Ribeirão Preto
Mariana Zanholo cursou Ensino Médio Técnico. Atualmente é bolsista do Insper, onde estuda Administração.
SUL
Lucas Gremaschi, nascido e criado no interior do Paraná, é estudante do quinto ano de Medicina na Universidade Estadual de Maringá (UEM).
Natália Cecília é alagoana, atualmente cursa Relações Internacionais na UFSC.
Conheça mais sobre os dez embaixadores no site.
Com Jornal O Povo

terça-feira, 19 de março de 2019

Festival da Cidade comemora 470 anos de Salvador até final de março

Bell Marques, Ivete Sangalo e Léo Santana estão entre as principais atrações que comemoram 470 de Salvador
Comemorando os 470 anos de Salvador, Festival da Cidade, que acontece entre os dias 21 e 31 de março, traz mais de 60 ações de diversas manifestações culturais em 20 pontos da cidade.
O festival vai contar com teatro, música, literatura, fotografia, exposições, artesanato, economia criativa, brincadeiras e oficinas.


Shows

Entre os destaques estão o Concerto Internacional Salvador 470 anos, que contará com a apresentação de nove cantores que irão se revezar num palco no dia 29 de março, Farol da Barra, a partir das 19h. O concerto acontecerá em parceria com o Festival da Língua Portuguesa, contando com nomes como o dos portugueses António Zambujo e Ana Moura, do angolano Paulo Flores e dos baianos Saulo, Daniela Mercury, Marcia Short, Carla Cristina, Marcia Freire e Magary Lord.
Além do espetáculo, Salvador vai ganhar também apresentações especiais de Hiago Danadinho e Léo Santana e Deny Dennan, em Cajazeiras X, também no dia 29, a partir das 19h, no Campo da Pronaica. No dia 30, será a vez de Bell Marques e Solange Almeida se apresentarem na Praça da Revolução, em Periperi. No mesmo dia, às 18h, os cantores Moraes Moreira e Paulinho Boca irão apresentar o show “Sempre Novos e Baianos Cantam Salvador”, no Largo da Mariquita, no Rio Vermelho, no mesmo palco em que também estará o roqueiro Márcio Mello.
Finalizando as ações do festival tem o show da cantora Ivete Sangalo, em trio, saindo do Clube Espanhol em direção ao farol da Barra, no dia 31 de março, a partir das 15h. Na ocasião, os grupos Filhos de Gandhy, Cortejo Afro, Muzenza e Malê de Balê também desfilarão para o público que estará na Barra.


Teatro

Com o festival, será possível assistir, em troca de 2kg de alimentos, o espetáculo “Compadre de Ogum”, obra que completou cinco anos em cartaz com sucesso de crítica e público. O espetáculo acontecerá entre 27 e 30 de março, na Igreja de Santana, no Rio Vermelho, a partir das 20h.
No Teatro Gregório de Mattos, estreia nacionalmente em Salvador o musical “Sonho de Uma Noite de Verão, dia 29 de março, às 19h. A temporada segue até dia 28 de abril, de quinta a domingo, às 19h, e com cinco sessões vespertinas, às 16h.
O projeto “Simplesmente Elas”, financiado pelo edital Viva Cultura, é um musical bem-humorado com Cristiane Mendonça, Evelin Buchegger e Luisa Prosérpio. Aborda a temática de três mulheres de idades diversas, personalidades peculiares, porém complementares, que ensaiam no camarim de um teatro.
A temporada fica em cartaz no Café Teatro Rubi dias 22, 23, 29 e 30 de março, 5 e 6 de abril, sempre às 20h30.

Com Jornal A Tarde

Governador do Ceará Camilo Santana vai criar programa de energia solar para atender produtores rurais

Governador do Ceará Camilo Santana, vem usando sua página no Facebook
para anunciar toda terça-feira para anunciar novidades de sua gestão.
O governador Camilo Santana anunciou, na manhã desta terça-feira (19), durante transmissão ao vivo em sua página no Facebook, que vai criar um programa de geração de energia solar para atender aos produtores da Agricultura Familiar. Ainda segundo ele, até o fim do mês, um projeto será encaminhado para a Assembleia Legislativa, com o objetivo de oficializar as ações do “Consórcio Nordeste”. 
O Consórcio Nordeste é uma proposta que foi idealizada na quinta-feira passada, em São Luís, no Maranhão, que tem como meta principal a união dos nove estados prevendo parceria em ações econômicas, políticas, de infraestrutura e social. 
“O consórcio vai ser criado por Lei e algumas ações (dos estados) poderão ser feitas conjuntamente”, disse Camilo. “Até o fim do mês, cada Assembleia vai enviar u projeto de Lei para colocar o consórcio em prática”, disse. 
Camilo Santana disse ainda que os governadores do Nordeste estão à disposição para contribuir com o debate da Previdência Social, mas que nenhum chefe de Executivo da região abrirá mão de pontos que prejudicam a classe mais pobre da população. 
No encontro, também foi discutido a necessidade de defesa de equipamentos que prestam serviços à região, como BNB, SUDENE, CODEVASF e DNOCS. “Precisamos de projetos para o desenvolvimento do Nordeste”, defendeu. O primeiro presidente do Consórcio Nordeste será o governador da Bahia, Rui Costa, do Partido dos Trabalhadores (PT). 
Sobre o projeto de energia solar para a Agricultura Familiar, Camilo Santana destacou que a ideia é aproveitar o telhado da residência do trabalhador rural para instalar placas solares
“Com essa energia, poderemos gerar energia para o produtor rural, mas também pode-se vender a energia gerada. Estamos formatando o projeto para fazer um projeto pioneiro na área rural, de geração de energia. Isso geraria receita maior para o homem do campo”, disse. 
O governador anunciou também que vai sancionar, na próxima sexta-feira (22), a Lei que transforma o programa “Mais Infância” em uma política pública de Estado. “É um passo importante para que o programa não seja apenas uma política de Governo, mas de Estado”, defendeu. 
Na área da Segurança Pública, o governador ressaltou os esforços para tentar reduzir os altos índices de violência no Estado, destacando a redução de ocorrências nos últimos meses. “Não vou descansar um minuto. Esse é um trabalho que precisa ser feito 24 horas por dia”, afirmou.  
Com Diário do Nordeste

segunda-feira, 11 de março de 2019

Exportações do Ceará atingem a US$ 395 milhões e fecha bimestre com balança comercial positiva

Primeiro bimestre de 2019 mostra bom crescimento
nas exportações do Estado do Ceará.
O Estado do Ceará voltou a repetir o comportamento apresentado em janeiro e fechou os dois primeiros meses de 2019 com saldo positivo, de US$ 39,1 milhões. Os dados são do estudo Ceará em Comex, realizado pelo Centro Internacional de Negócios (CIN) da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC).
O resultado alcançado veio a partir do desempenho das exportações cearenses, que tiveram um aumento de 17,3% comparando com o mesmo período de 2018 e atingiram o patamar de US$ 395,1 milhões. As importações porém, que totalizaram US$ 356 milhões, caíram 11,1% comparativamente com igual período de 2018. 
Comparando com o primeiro bimestre de 2015, o desempenho atual do Estado (US$ 39,1 milhões) representa uma alta de 126,7%, em relação a 2019. Dos quinze maiores estados exportadores do Brasil, o Ceará foi o segundo que mais cresceu, ficando atrás apenas do Mato Grosso, que registrou alta de 20% entre 2018 e 2019. 

Privatização ou extinção do BNB pode inviabilizar base de Bolsonaro no Congresso, diz Domingos

Domingos Neto tem se colocado como apoiador do governo,
mas faz críticas à organização da base.
Foto: José Leomar
Líder da bancada cearense no Congresso Nacional, o deputado Domingos Neto (PSD) afirmou nesta segunda-feira (11) que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) não terá governabilidade se levar a cabo alguma das especulações que circulam nos bastidores sobre a privatização do Banco do Nordeste do Brasil (BNB) ou sua fusão ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).
“A gente escuta falar de propostas de tirar o Banco do Nordeste daqui, e isso é algo que vai inviabilizar o Governo, porque a bancada do Nordeste inteira será contra, e a do Estado do Ceará, onde nós temos a sua sede, principalmente”, afirmou o parlamentar, após reunião da bancada cearense com prefeitos do interior do Estado na sede da Associação dos Municípios do Estado (Aprece), no bairro Aldeota, em Fortaleza.
No último dia 20 de fevereiro, um grupo de oito deputados cearenses se reuniu com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, em Brasília. Segundo informaram, o ministro indicou que ainda não havia definições sobre o futuro do BNB. O deputado Roberto Pessoa (PSDB) chegou a publicar vídeo nas redes sociais classificando a possibilidade de fusão com o BNDES como "fake news".
Articulação políticaDomingos Neto qualificou como “deficiente” a articulação política do Palácio do Planalto nos primeiros meses de Governo. “Isso é evidente, uma vez que nós temos um Governo que só tem praticamente um ou dois partidos oficialmente na sua base. Na última votação que tivemos antes do carnaval, que era sobre a revogação de um decreto presidencial (que ampliava a possibilidade de impor sigilo a dados públicos), o Governo só teve 56 votos”, disse.
A obtenção de apoio necessário à aprovação de matérias fundamentais como a Reforma da Previdência e até à manutenção das Medidas Provisórias que reestruturaram os ministérios passa pela negociação de cargos de indicação e liberação de emendas aos parlamentares, processo que, apesar de intrínseco ao presidencialismo de coalizão, foi alvo de constantes críticas por parte de Bolsonaro desde a campanha.
Na próxima quinta-feira (14), as demandas da bancada cearense devem ser postas à mesa em reunião com o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, que retorna de viagem à Antártida na quarta-feira. Também estão na pauta obras financiadas ou diretamente executadas pelo Governo Federal no Ceará, como a Transposição do Rio São Francisco, o Cinturão das Águas e o metrô de Fortaleza. “Nós precisamos acompanhar mais de perto a determinação do Governo em ajudar o estado. Quanto aos cargos federais no Ceará, também é evidente que nós precisamos conhecer como é que isso vai funcionar”, disse Domingos.
Reunião Prefeitos de mais de 50 municípios cearenses se reuniram na manhã desta segunda-feira com 13 deputados da bancada federal cearense. O encontro, realizado na sede da APRECE, tratou de vários assuntos relativos à queda na arrecadação dos municípios, que devem ser levadas a Brasília pelos parlamentares. Entre as questões, demandas por maiores aportes ao Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), assim como o retorno das discussões no Congresso sobre a partilha dos royalties da cessão onerosa do Pré-Sal com estados e municípios.

Com Diário do Nordeste 

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

Vila Galé oferece pacotes de carnaval nos resorts do Brasil

Vila Gale Cumbuco - Ceará
Andar de buggy pelas dunas de Cumbuco, relaxar ao sol da praia de Guarajuba, desfrutar das belezas do litoral potiguar ou mergulhar nas águas calmas de Cabo de Santo Agostinho. Neste carnaval, a Vila Galé, maior rede de resorts do país, oferece pacotes promocionais de quatro ou cinco noites para os que desejam se hospedar em sistema tudo incluído aproveitando essas facilidades. Sob o tema “Galé do Carnaval: Uma homenagem a todos os carnavais do Brasil”, os resorts terão programação específica, incluindo festas temáticas, fazendo alusão aos principais blocos de carnaval do Rio de Janeiro, Bahia e Pernambuco, além de diversas atividades para adultos e crianças.
Para os que buscam conhecer um pouco mais sobre as belíssimas praias de Pernambuco, a dica é o pacote de quatro noites no Vila Galé Eco Resort do Cabo, a partir de 6x de R$ 448* por pessoa em apartamento duplo. Se a ideia é mergulhar nos Parrachos de Perobas e visitar a Vila de São Miguel do Gostoso, a dica é hospedar-se no Vila Galé Touros. O pacote de quatro noites sai a partir de 6x de R$ 448 por pessoa*.
Vila Gale Marés - Bahia

Já o Vila Galé Marés, na Bahia, e o Vila Galé Cumbuco, no Ceará, oferecem pacotes de cinco noites a
partir de 6x de R$ 560 por pessoa*. Todos os pacotes funcionam em sistema tudo incluído. As reservas podem ser feitas através do site oficial da Vila Galé: www.vilagale.com 

*Valor por pessoa em apartamento duplo. Preços podem sofrer alterações sem aviso prévio.

domingo, 17 de fevereiro de 2019

Ministra sinaliza atender demandas do setor agro no Ceará

Ministra foi recepcionada por empresários, como o
diretor da Rosas Reijers, Roberto Reijers.FOTO: HELENE SANTOS
A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Tereza Cristina, sinalizou atender as demandas que estão no radar da Pasta que comanda, em sua primeira visita ao Ceará, ontem (15). Segundo a titular do Mapa, que acompanhou os fluxos de produções de três empresas no Estado, o fortalecimento da assistência técnica aos produtores terá espaço em sua gestão, além da flexibilização do uso de defensivos agrícolas.
"O Ministério está trabalhando na simplificação dos processos de governança, mas hoje (a decisão em relação aos defensivos agrícolas) é do Congresso Nacional. Fui presidente da Comissão Especial que aprovou um Projeto de Lei, mas ele precisa ainda ser votado na Câmara dos Deputados, no Senado, a modernização de todos esses processos para que se simplifique e não se precarize", avaliou.
O projeto ao qual se referiu a ministra é o PL 6299/02. O texto prevê que esses produtos possam ser liberados pelo Ministério da Agricultura. No último ano, empresários do setor agro se manifestaram contra a sanção pelo Governo estadual de uma lei que impede os produtores de fazer a pulverização por meio de aviões.
A presença da ministra e a menção ao assunto também provocaram manifestações contra o uso dos defensivos durante a visita dela ao Ceará.
Apoio a produtores
De acordo com a ministra, um levantamento no Nordeste apontou 91 cadeias produtivas que devem receber apoio. "Eu vejo que a assistência técnica é importante. Aqui é muito abaixo do que os produtores precisam", avaliou a ministra, acrescentando que a política de desenvolvimento para o Nordeste será pensada de forma conjunta com outros ministérios.
Problemática enfrentada por pequenos produtores desde o ano passado, o hiato no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) é visto pela ministra da Agricultura como um problema de "falta de orçamento". Ela prevê que a iniciativa deve ser retomada imediatamente, assim que houver recurso disponível.
"O projeto não foi finalizado, acabou o dinheiro, porque você tem o orçamento anual, mas continua firme e estamos trabalhando já o próximo Plano Safra e ele vai estar dentro disso aí também. Esse projeto não acabou, porque acabou o ano e entrou um novo Governo, mas o programa não acabou, o programa continua forte", pontuou.
Já no Rio Grande do Norte, onde visitou a produção de melões da Agrícola Famosa, Tereza Cristina afirmou que voltará "dentro de três meses com ações concretas para a geração de emprego e renda, principalmente para o pequeno produtor".
Nordeste não é só seca
A titular da Pasta revelou que ficou "encantada" com o que viu no Nordeste e que caiu por terra a impressão de que o Nordeste "é só seca". "Aqui, eu acho que nós vimos o que pode dar certo", disse.
"Nós estamos fazendo um reconhecimento porque devemos lançar em breve um trabalho em conjunto com outros ministérios, uma política voltada para o Nordeste brasileiro, que foi um pedido do presidente Jair Bolsonaro", destacou a ministra.
"O que nós queremos é conhecer um pouco de tudo: onde precisa de apoio, onde já tem apoio, casos de sucesso e o que é possível implementar mais, quais os gargalos... Enfim, no que a gente precisa trabalhar para chegar ao produtor rural, principalmente, no pequeno, no agricultor familiar, essas políticas públicas", detalhou Tereza Cristina.
Demandas
Enquanto percorria os municípios cearenses acompanhada pelo senador Tasso Jereissati e demais lideranças do Estado, a ministra falou ainda sobre o episódio dos lotes de frango contaminado com salmonela recolhidos pela Perdigão nesta semana, e assegurou que pretende intensificar o autocontrole por parte das próprias empresas.
"Isso faz parte da política que o Ministério quer, cada vez mais, implantar, que é o autocontrole. A empresa identificou (a contaminação) e nos comunicou", declarou a ministra Tereza Cristina.
"O ministério está auditando. E quem tem que cuidar da qualidade é a empresa, que fez isso, que é público. (...) A gente tem que dar publicidade e mostrar que as ações foram feitas rapidamente, retirando do mercado os contêineres (contaminados) e voltando para suas origens", completou, já no fim da visita ao Ceará, antes de ir ao Rio Grande do Norte.
com Diário do Nordeste

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2019

Agenda de desestatização une parceiros públicos e privados no BNDES

Joaquim Levy, presidente do BNDES e Paulo Guedes, Ministro da Economia
no evento marcou a conclusão do trabalho do Banco na estruturação dos
projetos de desestatização das distribuidoras do Sistema Eletrobras.
Nesta sexta-feira, 8, aconteceu o seminário ”Desestatizações no Setor Elétrico: Distribuidoras federalizadas, o papel do BNDES e parceiros institucionais”, com as presenças do ministro da Economia, Paulo Guedes, do presidente do BNDES, Joaquim Levy, ministros e autoridades do Governo Federal, agências reguladoras, Eletrobras e as companhias vencedoras dos leilões. O evento marcou a conclusão do trabalho do Banco na estruturação dos projetos de desestatização das distribuidoras do Sistema Eletrobras. 

As distribuidoras Amazonas Energia, Boa Vista Energia, Cepisa, Ceal, Eletroacre e Ceron — federalizadas nos anos 1990 como parte do programa de saneamento fiscal dos Estados — foram, em 2016, qualificadas pelo Programa de Parceiras de Investimentos (PPI), tornando-se elegíveis para privatização. Coube então ao BNDES executar o processo, papel definido no Programa Nacional de Desestatização, conforme a Lei n. 9491/1997. 
De novembro de 2016 a dezembro de 2018, a Área de Desestatização e Estruturação de Projetos do BNDES realizou etapas de estudos técnicos de modelagem, articulação com os governos estaduais, investidores, Elebras e órgãos de controle, assim como o acompanhamento dos leilões e eventos de liquidação. 
Para o presidente Levy, o papel do Banco de desenvolvimento na solução dos problemas de infraestrutura vai além da excelência na execução técnica que é típica do BNDES, cobrindo também a articulação com o poder concedente, agências regulatórias, investidores e órgãos de controle. “Além da agilidade e qualidade, buscamos cooperar com parceiros institucionais para garantir a conformidade e segurança jurídica capazes de tornar o ativo interessante para o setor privado e trazer o melhor para a sociedade”, disse ele na abertura do seminário. 
A visão de mercado e conhecimento setorial das equipes do BNDES foram comparadas por Levy à capacidade do banco usar seu balanço no financiamento de projetos.  Ele sublinhou que o BNDES está pronto para cooperar na desestatização e nas novas concessões em logística, saneamento e transporte de gás natural, entre outros setores, sublinhando que “a maior contribuição que o BNDES oferece muitas vezes são seus recursos humanos, experiência e capacidade de equilibrar diferentes interesses. Fornecemos soluções que trazem vantagens para todos os lados: investidores, Estado e sociedade”. 
Seguindo-se à fala do presidente, o primeiro painel do evento — “Distribuição de Energia Elétrica, Desenvolvimento e Mercados” — contou com a participação dos ministros Paulo Guedes, general Carlos Alberto dos Santos Cruz (Segov), José Mucio Monteiro Filho (TCU) e da secretária executiva Marisete Pereira, representando o ministro Almirante Bento Albuquerque (MME). 
Segundo Paulo Guedes, é necessário completar a transição de modelo econômico — praticado nas últimas décadas —, diminuindo a participação de empresas estatais nas áreas de infraestrutura e incentivando estados e municípios a atuar com mais eficiência em saúde, educação e segurança pública. 
Para Guedes, o BNDES pode exercer papel transformador, ajudando a superar os problemas causados por estatais disfuncionais e viabilizar novas concessões, inclusive no nível dos estados. “O modelo de desestatização aplicado às distribuidoras deve ser reproduzido em outros setores. Há muito trabalho a fazer”, sinalizou. A fala foi acompanhada pelo ministro Santos Cruz. Segundo ele, “O investidor precisa de qualidade técnica, segurança jurídica e honestidade para investir. E esse será o nosso foco”. 
A secretária-executiva do Ministério de Minas e Energia, Marisete Pereira, destacou que outro ponto fundamental para o sucesso é a articulação entre os atores envolvidos: “Só conseguimos sucesso na desestatização das distribuidoras porque vários órgãos trabalharam com o mesmo objetivo", disse. Na mesma linha o presidente do TCU, José Mucio, afirmou que o Tribunal quer ser um parceiro das iniciativas desde o início, já incorporando a competência do órgão de controle. 
Participante do segundo painel — “Desestatização das Distribuidoras Federalizadas" — o secretário Especial de Desestatização e Desinvestimento, Salim Mattar, defendeu que o BNDES deve utilizar “a expertise acumulada na estruturação de privatizações e PPPs” para contribuir em processos semelhantes ao das distribuidoras. 
Também presente ao segundo painel, o secretário especial do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Adalberto Santos de Vasconcelos, destacou o que ele considera um dos principais gargalos para o país avançar na melhoria d esua infraestrutura: "Quando entrei no PPI existia uma carteira de obras, hoje, temos uma excelente carteira de projetos”, disse. 
Participaram ainda do encontro o presidente da Eletrobras, Wilson Júnior, e representantes da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), Energisa, Equatorial, Oliveira Energia. Com a realização dos leilões das seis distribuidoras, Wilson Araújo prevê alívio no balanço da holding, com a interrupção dos aportes de recursos públicos e a transferência de R$ 9,3 bilhões em dívidas para os controladores privados.   
Também se espera uma rápida melhora nos serviços de distribuição de energia aos estados atendidos, beneficiando cerca de 13,6 milhões de pessoas. Os novos controladores — Energisa, Equatorial e Oliveira Energia — se comprometeram a capitalizar as empresas em R$ 2,4 bilhões e a investir, nos próximos cinco anos, R$ 6,7 bilhões na melhoria e expansão dos serviços de distribuição de energia. 
Fonte: Assessoria de Imprensa BNDES

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

Projetos de inovação de alunos do SENAI Ceará disputam premiação nacional

Os projetos dos alunos do SENAI concorrerão em todo Brasil
Seis projetos de inovação desenvolvidos por alunos do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI Ceará) estão em votação na plataforma do Itinerário SENAI de Inovação, concorrendo com projetos de todo Brasil no Desafio SENAI de Projetos Integradores. Eles foram os vencedores da etapa estadual, realizada em novembro de 2018. Os projetos dividem-se em duas categorias: Aprendizagem e Técnico. A votação acontece até 6/2.
Nessa etapa nacional, estão disputando os votos, na categoria Aprendizagem, os projetos QR Log, Nobreak Econômico e Processo Eficiente de Reutilização de Retalhos. Na categoria Técnico, concorrem os projetos Dispara Roupas, My Squad – Personal Shopper System (PSS) e Rainbow – Coco Kahlo.
Como prêmio, os vencedores serão premiados com troféu para a equipe, certificado e medalha para cada participante e curso presencial a ser escolhido por cada participante no valor de até R$ 1.000,00. Para votar, basta acessar o link de cada projeto e clicar em curtir, no canto esquerdo da página, abaixo do botão "DETALHES".
Projetos em votação
QR Log - Realiza controle de bens materiais da empresa e de sua transferência de local/setor, com intuito de facilitar a checagem da carga patrimonial, facilitando sua rastreabilidade. O projeto possibilitará realizar inventário de patrimônio e acompanhar a movimentação de bens de maneira mais rápida, prática e segura, necessitando apenas de um dispositivo Android, reduzindo custos e mão de obra.
Clique AQUI para votar.
 

Nobreak Econômico - Busca reduzir os custos adicionais na conta de energia cobrados em horário de pico por meio de monitoramento do consumo em tempo real em KWh dos equipamentos acoplados ao equipamento via internet para maior controle dos gastos mensais com energia elétrica.
Clique AQUI para votar.
 

Processo Eficiente de Reutilização de Retalhos - Utilizar retalhos que estariam sendo descartados na natureza, triturando-os para revestir necessaires para acondicionar lingeries produzidas para comercialização. O projeto visa diminuir o desperdicío de materiais gastos no processo de fabricação de lingeries (setor de corte) agregando valor ao produto final e lucros à empresa.
Clique AQUI para votar.
 

Dispara Roupas - Equipamentos que diminuem tempo de confecção e, consequentemente, aumento de produção. Por meio de esteira, bancada, sensores e balança busca manter produção individual linear e constante por meio da determinação do ritmo de trabalho do operador de máquinas de costura, diminuir quantitativo de auxiliares de produção para retirada de peças produzidas, valendo-se do uso de dispositivos de segurança para parada de movimento diante de imprevistos que possam surgir e controlar a contagem de peças sem a necessidade da conferência manual por um auxiliar de produção a cada hora do dia.
Clique AQUI para votar.
 

My Squad – Personal Shopper System (PSS) - Aplicativo para tablet e celular que permite visualização tridimensional de todos os produtos expostos através do reconhecimento via QR code/código de barras/imagem; localização da peça verificando a disponibilidade da mesma no estoque ou em qualquer ambiente da loja, caso não seja visível em sua arara (através do RFDI/GPS); interação do consumidor com tamanho, cor, modelo e texturas dos tecidos disponíveis do produto; possibilidade de compra e reserva de peças.
Clique AQUI para votar.
 

Rainbow – Coco Kahlo - Cartilha digital com normas estabelecidas, desde os direitos trabalhistas aos sociais, com objetivo de proteger e pôr em prática os direitos das mulheres dentro das indústrias, dos comércio e das instituições de forma educativa, estando a mesma disponível online em um site próprio para consulta de todos, com versão em PDF para downloads ou consulta virtual, selo de compromisso e ranking, valorizando a indústria a partir das boas práticas e fomentando a motivação das colaboradoras.
Clique AQUI para votar.
 

Desafio SENAI de Projetos Integradores
É uma iniciativa do SENAI para desenvolver, em seus alunos de cursos técnicos, a capacidade de trabalhar em grupo, propor ações inovadoras e pensar de forma empreendedora. Essas competências são cada dia mais requeridas nas organizações, onde o trabalho em equipe com profissionais de diversas áreas tem se mostrado fundamental para o sucesso de uma ação. O Desafio é dividido em duas etapas: regional e nacional.

Fonte: Comunicação Sistema FIEC

quinta-feira, 31 de janeiro de 2019

Obstáculos elevam custos em até 20% em portos do CE

O Porto do Pecém, em São Gonçalo do Amarante, 
é um grande exportador de placas de aço.
Foto: Natinho Rodrigues
Um documento elaborado pela Câmara Setorial de Logística do Ceará (CSLog), e obtido com exclusividade pelo Sistema Verdes Mares, aponta diversos entraves nos Portos do Pecém, em São Gonçalo do Amarante, e do Mucuripe, em Fortaleza, que emperram os processos de exportação e de importação de mercadorias. Segundo especialistas, os custos dessas deficiências estruturais e de pessoal refletem diretamente nas receitas das empresas e, consequentemente, nos preços dos produtos para os consumidores. Cálculos indicam aumento de até 20% no custo para vender ao exterior a partir dos portos cearenses.
“O maior problema que eu acho é a inexistência de um plantão 24 horas, de segunda a segunda, nos dois portos. Quando chega um navio na sexta-feira, não há como descarregar porque não tem gente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa). Um navio parado é cerca de US$ 21 mil que o operador portuário paga que no fim quem arca é o consumidor. É um absurdo isso porque eles não têm reposição de gente. É uma série de fatores que eles precisam solucionar e que o setor produtivo não pode ficar a mercê de uma legislação interna”, declara o presidente da CSLog e coordenador do Núcleo de Infraestrutura da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), Heitor Studart.
Segundo Studart, muitos navios que passam pelo Ceará precisam atracar em outros portos, como Suape (PE), Rio de Janeiro (RJ) e Santos (SP) porque não há expediente dos órgãos anuentes nos fins de semana no Pecém e no Mucuripe. “Os navios estão passando direto para outros portos porque não tem plantão sábado e domingo. Quanto é o prejuízo disso para a economia cearense? Depois essa carga vem via modal rodoviário. O prejuízo é incalculável. Muitas cargas vivas, como peixes, ficam confinadas em pequenos reservatórios aguardando o pessoal dos órgãos chegar na segunda-feira. Morre metade da carga”. 

Por 
Com DIÁRIO DO NORDESTE