quarta-feira, 6 de novembro de 2013

FIEC lança Núcleo de Mercado de Capitais do Ceará

Ary Lanzarin,presid. do BNB
estará presente ao laçamento
A Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), por meio do Instituto de Desenvolvimento Industrial do Ceará (INDI), lançará, oficialmente, na próxima segunda-feira (11/11), às 18h30min, durante a reunião de diretoria do Sistema FIEC, no auditório Waldyr Diogo, no térreo da Casa da Indústria, o Núcleo de Mercado de Capitais do Ceará. O presidente da FIEC, Roberto Macedo, comandará o encontro com as presenças do presidente do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (IBMEC), Thomas Tosta de Sá; do presidente do Banco do Nordeste, Ary Lazarin; e do superintendente do Sebrae Ceará, Alcyr Porto. Na ocasião, os parceiros do Núcleo vão assinar a adesão e formalizar o Plano Estratégico de atuação.O Núcleo de Mercado de Capitais do Ceará será o segundo implementado no país depois de Minas Gerais, que já evoluiu para instalação de um Instituto. A entidade amplia o acesso ao crédito para as empresas locais, que terão opções de financiamento de projetos. Ele vem fortalecer o apoio às micro, pequenas e médias empresas, aquelas de natureza familiar e que exploram atividades não tradicionais, cujo maior patrimônio é o conhecimento e têm conteúdo inovador. Enquadram-se nesse perfil as empresas iniciantes, ou startups tecnológicas, assegurando a elas formas alternativas de financiamento, poupança e segurança.O diretor corporativo do INDI, Carlos Matos, explica que a FIEC abraça o Núcleo, compartilhando ideias com os parceiros, dentro do processo de mudança de mentalidade e inovação. “A característica da inovação é estimular jovens que não têm capital. Aquela ideia se transforma em negócio. Para isso, temos o Núcleo de Mercado de Capitais para estimular e acompanhar a necessidade de crescimento rápido das startups”, esclarece Matos.Ele afirma que a ideia do Mercado de Capitais não é só ter acesso aos recursos. “O Mercado de Capitais permite ter uma governança corporativa melhor, acesso aos novos mercados e alguns ativos intangíveis que o crédito não é capaz de dar”, complementa o diretor. A criação do Núcleo Cearense de Mercado de Capitais (NCMC) foi possível por iniciativa da FIEC, por meio do INDI,  Banco do Nordeste (BNB), Sebrae, CRCCE, IBEF, Apimec, Corecon, CRA, Instituto FA7 e Faelce.  A FIEC abrigará fisicamente o Núcleo na Unidade de Crédito do INDI, que passará a funcionar também com o Mercado de Capitais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário