segunda-feira, 25 de maio de 2015

Nordeste registra o terceiro maior crescimento de inadimplentes em 2015

Região nordestina registrou percentual de 3,07%  de aumento nos consumidores
com dívidas em atraso no primeiro quadrimestre 2015, abaixo da média nacional.
Dentre as cinco regiões brasileiras, o Nordeste apresentou nos quatro primeiros meses de 2015 o terceiro maior crescimento na quantidade de consumidores com dívidas em atraso no país. O aumento foi de 3,07%, mas ficou abaixo da média nacional, que foi de 3,39%. O dado é do Indicador Regional de Inadimplência calculado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). A maiores altas foram registradas pelo Centro-Oeste (3,98%) e pelo Sul (3,19%). O Norte e o Sudeste foram os locais que apresentaram as menores altas, de 2,81% e 2,66 respectivamente. 

Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil, diz que o crescimento da quantidade de pessoas negativadas observado de forma generalizada em todas as regiões do país reflete o difícil cenário macroeconômico atual. "A pressão exercida pela aceleração da inflação, o aumento das taxas de juros e a piora dos indicadores econômicos, sobretudo os de renda e emprego, têm impactado na capacidade de pagamento dos brasileiros", justifica a economista.
Em relação à representatividade do número de devedores na comparação com o total da população de cada região, a tendência observada se altera entre as regiões. O Norte, apesar de apresentar o segundo menor número absoluto de inadimplentes, é a região que apresenta a maior parcela de sua população com contas em atraso: 45,2% do total de moradores. Em seguida surgem a região Centro-Oeste, com 40,9% de sua população com contas em atraso e o Nordeste, que tem 38,3% de seus moradores em situação de inadimplência. Em menor escalada estão as regiões Sul (34,7%) e Sudeste (34,4%).

Bancos lideram dívidas na maioria das regiões
Segundo o indicador do SPC Brasil, nos quatro primeiros meses deste ano as dívidas com os bancos, que incluem pendências no cartão de crédito, empréstimos, financiamentos e seguros lideraram o crescimento no número de dívidas em quatro das cinco regiões brasileiras: Sul (10,25%), Nordeste (10,15%), Norte (10,11%) e Sudeste (9,35%). No Brasil como um todo, as dívidas com os bancos representam quase a metade das pendências financeiras: 48,43%, de acordo com o indicador.
Na região Centro-Oeste, o destaque ficou por conta dos atrasos financeiros com serviços básicos, como água e luz (12,19%). As dívidas com o comércio e contas no ramo de comunicação, como telefonia, internet e TV por assinatura, registraram as altas mais expressivas na região norte, com crescimento de 4,84% e 8,01%, respectivamente.

Metodologia
O indicador de inadimplência regional do consumidor sumariza todas as informações disponíveis nas bases de dados do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito). A abrangência é nacional, com informações de capitais e interior de todos os 26 estados da federação, além do Distrito Federal.
Com O Povo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Latam avalia pedir recuperação judicial no Brasil, nos Estados Unidos e no Chile

A frota da LATAM Airlines Brasil é composta por 332 aeronaves da   Airbus  e  Boeing . Sofrendo com a crise decorrente da pandemia da...