sábado, 27 de setembro de 2014

TAM quer formar mão de obra local para hangar de Aracati

TAM pretende formar m~]ao de obra local para trabalhar no
se Hangar na cidade de Aracati no litoral leste cearense
A TAM Aviação Executiva (TAM AE) quer formar mão de obra local para trabalhar no novo Centro de Manutenção de aeronaves que está inaugurando em Aracati. Segundo o presidente da empresa, Fernando Pinho, há grande demanda de profissionais na área não só para o novo equipamento da empresa, mas também para suas unidades no Sudeste e Centro Oeste.
"A gente tem total interesse na formação de mão de obra, pois na região Sudeste há um congestionamento muito grande dessa formação. Os centros formadores já estão nos limites das suas capacidades e há uma demanda muito grande. Faz total sentido desenvolver mão de obra pra essa indústria aqui, em Aracati, para fornecimento de profissionais em nossos centros e, quiçá, exportar profissionais para outras regiões do Brasil", afirmou o executivo ontem, durante a cerimônia de assinatura do termo de cessão de uso do hangar que abriga o novo Centro de Manutenção de aeronaves.
Tipos de profissionais
Conforme Pinho, há necessidade de profissionais como mecânicos, eletricistas, chapeadores e pintores de aeronaves. Segundo ele, é um compromisso da TAM AE contribuir nessa formação, que já começa a ser feita em centros de formação do Sistema S (Sesi, Senai) na região do Aracati. "A participação da TAM AE é no desenvolvimento de currículos. E os alunos poderão fazer estágio na nossa instalação. A grande dificuldade das escolas é a escassez de um centro de estágio, de um laboratório, porque este não é um profissional que você forma 100% nas salas de aula. E aqui temos um laboratório de verdade", esclarece.
A empresa já realizou este ano, em Fortaleza, um treinamento específico com um grupo de 60 profissionais que detêm experiência na área ou que estão em formação no setor, do qual foram pré-selecionados 30, os quais já estão em contato com a área de Recursos Humanos da TAM AE para participarem do processo final de contratação. Na fase inicial do novo Centro, haverá 40 funcionários e, com o crescimento da demanda, pretende-se que esse número chegue a 175 em até cinco anos.
Atração de investimentos
O governador Cid Gomes, presente na solenidade de ontem, afirmou que a entrada do Centro de Manutenção da TAM AE marca uma nova era na atração de investimentos para a região onde o equipamento está instalada. "É um novo padrão de investimentos com a utilização de mão-de-obra qualificada com salários muito melhores no estado do Ceará", afirmou. "Aracati é simbolicamente um município que precisava disso.
Capacidade para atender um total de 30 aeronaves
O novo Centro de Manutenção de Aeronaves da TAM deverá entrar em operação ainda este ano. No momento, a empresa espera a homologação por parte da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e trabalha na instalação dos equipamentos na unidade, que já estão encomendados. Ele terá capacidade para atender até 30 aeronaves, entre jatos e turboélices da família Cessna.
O objetivo é atender principalmente a clientes do Norte e Nordeste, mas, destaca Pinho, a empresa trabalha para trazer aeronaves de outros países da América do Sul e Central. "Hoje, a frota venezuelana é toda atendida pelo mercado americano, e ela está entre nossos objetivos de prospecção. Nós já temos tido aproximação com players da indústria local da Venezuela", adianta, acrescentando que pretende trazer esta frota já no ano que vem.
Além do mercado venezuelano, a TAM AE vê possibilidades no Chile. "Eles já são atendidos em nossa unidade de Jundiaí, em São Paulo. Mas, em algumas ocasiões, a gente não consegue atender por conta da capacidade de produção. E poderíamos trazê-los para cá", cogita. Ele também reforça que há a possibilidade de trazer aeronaves que estejam em fila de espera para manutenção nos outros centros no Sudeste e Centro-Oeste.
Sérgio de Sousa (DN)
Repórter

Nenhum comentário:

Postar um comentário