segunda-feira, 20 de maio de 2013

A força de um "boato"

Min. da Justiça José Eduardo promete investigação
As consequências legais para os que criaram e replicaram os boatos sobre a interrupção ou suspensão do programa federal Bolsa-Família prometem ser duras, de acordo com a posição do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Segundo ele, a Polícia Federal já esta investigando os fatos.
“A determinação foi para que a apuração seja rigorosa a fim de que se possa tomar com rapidez as medidas criminais cabíveis contra todos os envolvidos na origem e na divulgação destes boatos”.
Em nota, Cardozo afirmou ter determinado à Policia Federal a instauração imediata de inquérito policial para a apuração da ocorrência de diferentes crimes. O líder do PT na Câmara, deputado federal José Guimarães (PT/CE), diz que a expectativa é que “se identifique os responsáveis e os bote na cadeia”.
“É uma mentira deslavada daqueles que, provavelmente, querem gerar um clima de intranquilidade entre as famílias brasileiras, principalmente nas de baixa renda, que têm no Bolsa-Família seu sustento. É um absurdo o Brasil se permitir a esse tipo de comportamento”. Guimarães lembra que falsificar ou transmitir informações que criem tumulto, como o que foi gerado, principalmente na região Nordeste, é crime.
Guimarães assegura que não há quem interdite o Bolsa Família. “Portanto, a nossa expectativa é que nesta semana a Polícia Federal venha a público e diga quem foi responsável por essa maldade sem tamanho com as famílias”. Ele diz que até já há especulação sobre de onde partiu o boato, mas que o Congresso vai aguardar a investigação da Polícia Federal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário